Menu

14 abril 2013

Novela na Seduc continua

Silval manda investigar denúncias de ex-secretária adjunta


O governador Silval Barbosa (PMDB) afirmou que as denúncias feitas pela ex-secretária adjunta da Secretaria de Estado de Educação, Vanice Marques (PSD), serão investigadas. Ele admitiu que as acusações são graves e disse que o caso será tratado com a seriedade que o assunto merece.

Segundo reportagem do Diário de Cuiabá, o chefe do Executivo ressaltou que todas as denúncias feitas foram investigadas, independentemente da secretaria e com esta não seria diferente. "Não somente na Seduc, mas todas as denúncias em gestões das secretarias eu tenho mandado apurar. A denúncia dela é mais séria e será tratada com mais seriedade".

Conforme Só Notícias já informou, Vanice Marques, que é irmã do deputado Airton Português (PSD), pediu demissão e condenou a forma "feudalista" como o PT trata a Secretaria de Estado de Educação a maior pasta com um orçamento de R$ 1,6 bilhão para este ano. Ela estava há pouco mais de dois meses como secretária adjunta de Estrutura Escolar, responsável por um orçamento da ordem de R$ 120 milhões, sendo R$ 112 milhões em recursos federais e R$ 8 milhões do governo do Estado.

Mesmo sendo ordenadora de despesas, a então adjunta foi surpreendida com uma decisão baixada por portaria pelo secretário Ságuas Moraes (PT) que criou um Núcleo Executivo para onde foram repassadas todas as competência de sua secretaria-adjunta, mantendo a mesma como ordenadora, mas sem poderes de decidir as prioridades nas reformas e ampliações das escolas públicas, mesmo em relação aos recursos federais. Para o referido Núcleo Executivo foi nomeado alguém com supostas ligações com o secretário Ságuas Moraes.

"Na Seduc, por dois meses, fui impedida de implantar rotinas administrativas, criar sistemas de transparência, alterações de responsabilidades entre funcionários, foi-me solicitado expressamente assinaturas em processos incompletos. Foi-me negado por diversas vezes acessos a documentos (referentes à minha responsabilidade) para análise, e por fim para me excluir definitivamente das discussões e decisões de investimentos, publicaram um núcleo executivo tirando 90% da execução orçamentária da pasta sob minha responsabilidade", aponta ela em carta pública sobre a situação na pasta.

Em resposta, o secretário de Estado de Educação, Ságuas Moraes, pontuou que a pasta está aberta a qualquer tipo de investigação e que viu a saída da secretária adjunta como um ato normal da administração pública, lembrando que todos os recursos públicos do Estado ou federal destinados para o setor passam por auditoria interna e por fiscalização de órgãos de controle.

Ele pontuou que Vanice Marques gerou uma expectativa grande em relação a sua função na Secretaria de Educação e que isto acabou provocando angustias desnecessárias e descaracterizou qualquer tipo de problemas de relacionamento ou de desmantelamento do seu poder enquanto adjunta da pasta com suas devidas competências estabelecidas e mantidas.
Fonte: Só Notícias/Alex Fama (foto: assessoria/arquivo)