Menu

22 outubro 2012

Transtorno de Atenção


Transtorno de Atenção pode ser controlado para melhorar rendimento escolar, diz psicóloga

Treinar-se para prestar atenção e manter compromissos em ordem ameniza sintomas que persistem por toda a vida
Também conhecido como Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA), o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) tem como sintomas básicos a falta de atenção, a impulsividade e a agitação motora.

Em crianças e adolescentes, a consequência comum do transtorno é mau rendimento escolar. Mas o problema é vitalício e, se não for tratado, compromete muito mais que o desempenho nas provas.

Especialistas não chegaram a um consenso sobre as causas do TDAH. Ele pode ser transmitido geneticamente pelos pais, pode decorrer de uma disfunção neuroquímica e também ser influenciado por fatores como ambiente familiar, exposição ao chumbo e consumo de álcool e tabaco pela mãe durante a gestação. Ou ainda, pode ocorrer por conta da junção de todos esses motivos.

“O tratamento é medicamentoso, com acompanhamento do psiquiatra ou do neurologista e da terapia com psicólogo”, explica a psicóloga Adriana Nobre de Paula Simão.

No mestrado e no doutorado, Adriana estudou a ocorrência do transtorno de atenção em crianças encaminhadas para avaliação neuropsicológica e constatou que cada paciente precisa de uma receita diferente para controlar o déficit de atenção.

“Pais e professores precisam incentivá-los a se organizar e acompanhá-los mais de perto que as outras crianças. Algumas precisam sentar mais perto da professora, para outras, o melhor é ter um amigo que o ajude, que lembre de anotar as coisas”, exemplifica Adriana.

Também não existe cura para o TDAH, por isso o tratamento pretende tornar o paciente apto a controlar todos os sintomas do transtorno, esclarece a psicóloga. “Fazemos treino de atenção, de organização, de planejamento. A pessoa tem que melhorar a própria atenção”, descreve.

DIAGNÓSTICO
Diferentemente de outros transtornos (como o Bipolar), o déficit de atenção se manifesta da mesma forma em qualquer situação, independentemente do nível de estresse ou tipo de emoção experimentada. “Para ter o diagnóstico, tem que ter os mesmos sintomas em todos os lugares”, esclarece a psicóloga.

Há três tipo de TDAH: o inatento, o hiperativo e o combinado. Os dois primeiros têm nove sintomas típicos e o paciente precisa apresentar ao menos seis deles por seis meses para ser diagnosticado portador. Para ter o TDAH combinado, a pessoa precisa manifestar seis sintomas do tipo inatento e outros seis do tipo hiperativo por seis meses.

Confira os sintomas de cada tipo do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH):

Tipos de TDAH
Inatento
Hiperativo
Combinado
esquece atividades
abandona sua cadeira em sala de aula ou em outras situações
reúne todos os sintomas dos outros dois tipos de TDAH
tem dificuldade de manter atenção em tarefas
agita mãos e pés ou se remexe na cadeira
não escuta quando lhe dirigem a palavra
corre em demasia em situações inapropriadas
não segue instruções ou não termina seus deveres
está sempre a mil por hora
tem dificuldade para organizar tarefas
fala em demasia
perde coisas indispensáveis
dá respostas precipitadas antes da pergunta finalizada
distrai-se facilmente
dificuldade para aguardar sua vez
não presta atenção a detalhes
interrompe ou se intromete nos assuntos dos outros
evita ou reluta em assumir atividades que exigem esforço constante
sempre deve estar fazendo algo